Avanço no mercado agrícola brasileiro favorece indústrias de defensivos e fertil...

Notícias & Blog

Em agricultura, um dos maiores desafios é transformar pesquisa em soluções acessíveis para os produtores rurais enfrentarem as dificuldades diárias, alcançando e maximizando seus lucros. Para auxiliar os agricultores nessa caminhada de crescimento produtivo e financeiro, as indústrias de defensivos agrícolas e fertilizantes exercem um papel fundamental.

Focada na produção de soluções destinadas ao combate de doenças da agricultura, pragas e ervas daninhas, a indústria de defensivos agrícolas se destaca por produzir um importante insumo para o agronegócio, atingindo um valor de vendas de R$ 42 bilhões, em 2019, conforme dados da consultoria Kleffmann Group divulgados pela Sociedade Nacional de Agricultura (SNA).

Nas monoculturas, além dos cuidados com a terra, o solo, as sementes e a escolha da tecnologia utilizada na adubação, é preciso dar atenção aos patógenos que podem acometer a plantação e ao controle de insetos e/ou pragas agrícolas, responsáveis pela deterioração da cultura. É o caso das ervas daninhas, que desequilibram o balanço do solo e a distribuição dos nutrientes.

É nessa situação que o defensivo agrícola assume um papel sanitário crucial na agricultura, garantindo que o alimento produzido consiga crescer em um ambiente de constante competição. O defensivo assegura a competitividade e as condições adequadas para o desenvolvimento e a produtividade da cultura.

Existem no mercado inúmeras tecnologias disponíveis de defensivos agrícolas, porém, três classes se destacam: inseticidas, herbicidas e fungicidas. Outros produtos utilizados são os maturadores, reguladores de crescimento e bactericidas.

Dentro dessa divisão são oferecidas formulações em forma líquida ou sólida. As líquidas apresentam concentrados emulsionáveis, suspensões concentradas, líquidos solúveis, micro emulsão, formulação OD e para tratamento de sementes.

Uma vez que os defensivos agrícolas protegem a cultura do ataque das plantas invasoras, insetos e doenças, a indústria de fertilizantes garante o potencial nutricional da planta, fornecendo matéria orgânica, nutrientes via solo e via foliar (nutrição via folha).

Os fertilizantes também são apresentados em líquidos e sólidos. Geralmente, os sólidos são destinados para a aplicação no solo, sendo a fase nutricional de toda a cultura. Outro viés de produção para melhorar a disponibilidade de nutrientes para a planta é a nutrição foliar, por meio da qual se pulveriza a solução do fertilizante sobre a planta, ela absorve e usa como nutriente nos processos metabólicos, garantindo uma maior produtividade.

Para que a cultura produza em sua capacidade máxima, o agricultor precisa garantir as condições ideais, como o fornecimento de nutrientes na quantidade certa e nos momentos críticos da planta, como o vegetativo (no qual a cultura ganha massa) e a fase reprodutiva (produção). É necessário manter sempre os cuidados com a proteção da cultura contra ervas daninhas, pragas ou fungos, tendo a certeza de que a combinação do defensivo e do fertilizante não cause danos para a plantação.

Nesse cenário, a Lonza traz para o mercado brasileiro a linha Velcis, uma tecnologia disruptiva que resulta em mais eficácia dos produtos agrícolas e maior ganho de resultados no campo. Seus produtos de alta performance, prontos para uso, garantem excelente desempenho e tecnologia de biodisponibilidade.

Os produtos Velcis foram desenvolvidos com alta tecnologia de bioativação, que atende a todos os requisitos de um bom defensivo ou fertilizante, trazendo eficácia no controle de fungos que podem acometer as culturas e potencializa a nutrição das plantas.

Com a linha Velcis você garante os melhores resultados para as suas formulações.